• Meio Ambiente

Meio Ambiente

10/10/2022

Realizada nesta segunda, 10/10, Live sobre o uso de imagens de satélite no combate ao desmatamento

Foi realizada, no dia 10 de outubro de 2022, segunda-feira, live com transmissão no youtube sobre o uso de imagens de satélite no combate ao desmatamento. O evento integra as iniciativas do projeto setorial Mata Atlântica em Pé, que combate o desmatamento no Paraná e teve como objetivo destacar as potencialidades do uso de ferramentas de monitoramento remoto na atividade institucional.

Como mediador, o evento contou com o Promotor de Justiça Leandro Garcia Algarte Assunção, que coordena o Núcleo de Recursos Hídricos do CAOP-MAHU, e como expositores, estiverem presentes Marcos Rosa, coordenador técnico do MapBiomas, responsável pelo Atlas dos Remanescentes Florestais da SOS Mata Atlântica; e o Promotor de Justiça Alexandre Gaio que também atua no CAOP-MAHU, como coordenador do Núcleo Meio Ambiente.

Durante a live, o convidado Marcos Rosa apresentou as funcionalidades da plataforma colaborativa e do projeto MapBiomas, rede colaborativa de instituições que se reuniram para produzir conhecimento sobre usos do território brasileiro compondo uma plataforma composta por mapas com dados referentes à cobertura e uso da terra; desmatamento; vegetação secundária; irrigação; infraestrutura; qualidade da pastagem; cicatrizes de queimadas; mineração e superfície da água. Ainda, Marcos apresentou dados sobre o MapBiomas Alerta, que busca produzir informações sobre alertas de desmatamento, com qualidade e agilidade para facilitar o trabalho de combate às ativdades ilegais com eficácia e transparência. Caso queira conferir, basta acessar os sites: https://mapbiomas.org/http://https://alerta.mapbiomas.org/.

O Promotor de Justiça Alexandre Gaio, por sua vez, expôs sobre aspectos, vantagens e potencialidades da fiscalização ambiental remota, tratando em especial da busca pela proteção, conservação e recuperação do Bioma de Mata Atlântica. Dentre as vantagens elencadas estão, principalmente: a superação da insuficiência de recursos humanos, o alcance a lugares de difícil acesso, a celeridade, a economia de gasto do dinheiro público e o embasamento da atuação ministerial com segurança jurídica capaz de viabilizar a busca pela reparação integral dos danos ambientais. No que se refere ao bioma Mata Atlântica, especificamente, Gaio ainda discorreu sobre o fato de que atualmente, inclusive, é viável a classificação remota dos estágios sucessionais da vegetação nativa, compartilhando estudos sobre o tema.

Houve intensa participação pelo chat e os debates foram bastante produtivos. Agradecemos a presença e audiência de todos no evento e a parceria com a ESMP.

A live está disponível no link https://www.youtube.com/watch?v=JzHu2aaF02Y.

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem